Compartilhamos algumas das descobertas de nossa pesquisa de IP, para que qualquer inventor, empresário ou empresa de qualquer país que queira trabalhar com nós, veja a imagem completa.

Conclusão 1:

“Se antes como o estado da arte aumentava, a possibilidade de inventar também aumentava, hoje à medida que o estado da arte aumenta, a possibilidade de inventar diminui” (para entender veja a tabela a seguir).

a) Esta tabela estatística por amostragem foi feita revisando as opiniões escritas das primeiras aplicações PCT de cada ano (de 2005 a 2019), que são publicados na Patentscope. (b) Para efeitos desta tabela, considera-se que o relatório de pedido de PCT é favorável, se pelo menos obteve atividade inventiva para reclamação técnica, (c) Que um aplicativo PCT obtém um relatório ISA / PCT favorável de novidade na fase internacional (não significa que este relatório seja infalível) já que muitos desses aplicativos não sofrem o mesmo destino na fase nacional, o que acontece porque os escritórios do ISA nem sempre realizam buscas exatas, o que faz com que sejam negados em fases posteriores, por isso o número efetivo de aplicativos PCT que realmente são novidade é sempre menor do que a tabela mostrada, uma vez que na fase nacional muitos relatórios PCT favoráveis ​​são revertidos.

Conclusão 2:

“O fato de inventores e agentes de patentes fazerem o sistema de patentes funcionar não significa que eles sejam os atores do sistema de patentes que estão obtendo os melhores resultados econômicos” Porém, como melhorar a situação de ambos os atores É adotando sistemas que otimizar os processos de transferência de tecnologia, pois assim mais inventores poderão patentear suas invenções fora de seus países de origem de forma mais simples e os agentes de patentes aumentarão sua carteira de clientes e serviços.

“Se os inventores são os principais beneficiários do sistema de patentes, todos os seus prestadores de serviços, tanto do setor público quanto do privado, também obterão melhores resultados”

Conclusão 3:

Quem ganha com o sistema de transferência de tecnologia PB?

1. Os inventores ganham, porque não precisam mais se preocupar em patentear suas tecnologias no exterior, já que essas tarefas recairão sobre seus parceiros estrangeiros, os mesmos que unirão esforços para o avanço da tecnologia,

2. Os buscadores de tecnologia ganham, pois agora podem adquirir a tecnologia da maneira mais simples possível e sem a necessidade de implantar departamentos de P&D,

3. Os provedores de serviços de PI ganham, pois se os processos de transferência de tecnologia forem simplificados, mais inventores poderão proteger suas invenções fora de seus países de origem, o que aumentará o portfólio de clientes desta classe de profissionais.

Conclusão 4:

Como os proprietários de IP de diferentes países ganham quando fazem parceria uns com os outros em nosso sistema de transferência de tecnologia?

Como descobrimos que é geralmente duas ou três vezes mais caro para um inventor patentear sua invenção no exterior do que patentear uma invenção estrangeira em seu próprio país, sugerimos que os proprietários de IP troquem suas tecnologias com outros proprietários de IP de outros países sob nosso sistema de transferência de tecnologia, para que se ajudem nesses processos, (mesmo que tenham desenvolvido invenções de outros setores tecnológicos), pois com essa estratégia vão conseguir o seguinte:

1) .- Ambos irão reduzir os custos de patentear suas tecnologias no exterior,

2) .- Ambos serão capazes de encontrar um parceiro para ajudá-los a avançar em suas tecnologias, o que inclui suporte técnico de um corretor de Patent Basket,

3) .- Ambos os proprietários de PI aumentarão seu portfólio de patentes nacionalmente e também internacionalmente da maneira mais simples e econômica,

4) .- Ambos maximizam as possibilidades de comercialização de suas tecnologias, uma vez que é mais viável administrar Duas ou Mais invenções no mesmo país, do que administrar a mesma invenção em Dois ou Mais países diferentes,

5) .- Ambos os titulares de PI reduzirão a possibilidade de um deles abandonar o processo de patenteamento que se comprometeram a realizar em seu país, já que um depende do outro para patentear sua invenção no exterior, portanto, praticamente nada quebra essa aliança.

Conclusão 5:

Quem ganha com o sistema otimizado de merchandising Patent Basket?

Ganha os inventores, seus parceiros e quem se dedica à fabricação da tecnologia.

Equipe Patent Basket.